© Copyright 2013-2016 Fagron. Todos os direitos reservados.

Sobre a Fagron
E-News
Contatos

A Fagron é uma multinacional holandesa, presente em mais de 30 países e com produtos comercializados em mais de 60. Fundamentada em pesquisa e desenvolvimento científico magistral, a Fagron é líder mundial em medicamentos farmacêuticos customizados para hospitais, farmácias, médicos e pacientes.

Assine para receber nossa Newsletter.

 

Conceito

TrichoConcept™

Primeira linha global de veículos multifuncionais, com tecnologia TrichoTech™, que atua no equilíbrio de todo o sistema capilar - bulbo, couro cabeludo e haste - favorecendo a fase neógena no tratamento das alopecias

Durante décadas as pesquisas para o tratamento da alopecia estiveram voltadas somente para o fármaco, pensando exclusivamente no equilíbrio da função folicular. Com isso, não era levada em consideração toda a fisiologia do sistema capilar, que pode influenciar de forma direta a resposta ao tratamento. Quando o bulbo, o couro cabeludo e a haste estão nutridos e protegidos de agressões externas, o tratamento da alopecia pode ter uma resposta farmacológica superior.

 

O sistema capilar tem seu equilíbrio alterado com muita facilidade devido a fatores internos e externos, como: cuidados inadequados, poluição ambiental e tratamentos agressivos. Esses fatores podem levar a outras condições dermatológicas como a caspa, o excesso da produção de sebo, fragilidade da haste e, em casos mais graves, eczemas e dermatites.

 

Assim, para proporcionar ao paciente um tratamento de alta performance é necessário ter atenção ao veículo de escolha para cada formulação. Estudos apontam que diversos produtos utilizados atualmente na composição de formulações

capilares como álcool, propilenoglicol e alguns tensoativos alteram o manto hidrolipídico. Para uma resposta eficiente, o sistema capilar não pode sofrer agressões pela formulação e, por isso, já é um consenso que formulações agressivas podem prejudicar o tratamento.

 

Até hoje os prescritores tiveram à disposição um arsenal limitado de veículos compatíveis com os fármacos utilizados no tratamento da alopecia. Esses veículos, em sua maioria, são altamente agressivos, podendo inclusive diminuir a adesão de pacientes.

 

Devido a essa necessidade dos médicos e seus pacientes, a Fagron desenvolveu a linha TrichoConcept™. São 6 veículos formulados com a tecnologia TrichoTech™, um fitocomplexo que atua em todo o sistema capilar. Dessa forma, são contempladas todas as possibilidades para a prescrição de protocolos para o tratamento da alopecia.

 

TrichoConcept™ e TrichoTech™

É uma linha completa de veículos multifuncionais desenvolvidos especialmente para formulações aplicadas em tratamentos de alopecia, com foco na manutenção da fisiologia do sistema capilar BCH (Bulbo, Couro cabeludo e Haste), deixando-o mais receptivo aos API’s (ativos farmacêuticos).

 

Todos os veículos foram formulados com a exclusiva tecnologia TrichoTech™, um fitocomplexo inteligente, que concentra moléculas naturais e atua em todo sistema capilar.

 

O uso de fitocomplexos como estimulantes do crescimento capilar tem sido considerado uma medida secundária eficaz para o tratamento da perda de cabelo, especialmente, quando os tratamentos de primeira linha, como a aplicação de minoxidil ou a administração de finasterida resultam em fracos resultados ou provocam reações adversas. Os fibroblastos são encontrados na papila dérmica dos folículos capilares e estão fortemente implicados na regulação do crescimento capilar.

Um estudo in vitro  com linhagem de fibroblastos humanos, realizado pelo Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento do IOOE (Instituto de Osmologia e Óleos Essenciais) investigou o potencial proliferativo de TrichoTech™, onde foi avaliada a capacidade de modulação da expressão gênica de FGF-7 e FGF-10, que atua na fase neógena  do ciclo de crescimento capilar e a sua participação na ativação das vias de transdução de sinal de sobrevivência celular (PI3K / Akt) e mitogênica (Ras / MAPK).

 

Foi constatado que TrichoTech™ induziu a proliferação dos fibroblastos estudados, possivelmente, através da regulação positiva da via de sinalização de MAP quinase, promovendo um aumento na população de células em estágio S-G2-M do ciclo celular e aumento em torno de 25-30% na produção de colágeno. Além disso, intensificou a migração celular e aumentou os níveis de mRNA dos genes FGF-7 e FGF-10.

1.Amaral, F. , Jardim, M. , de Souza Antunes, V. , Michelin, L. , dos Santos, B. , Barbosa, C. , Spindola, D. , Bincoletto, C. and Oliveira, C. (2017) In Vitro Effects of the Phytocomplex TrichoTechTM on Human Fibroblasts: Proliferative Potential and Effects on Gene Expression of FGF-7 and FGF-10. Journal of Cosmetics, Dermatological Sciences and Applications, 7, 1-13. doi: 10.4236/jcdsa.2017.71001.

2.Bernard BA. The human hair follicle, a bistable organ? Exp Dermatol. 2012 Jun;21(6):401-3. doi: 10.1111/j.1600-0625.2012.01457.x. Epub 2012 Mar 28.

 

Fase Neógena

As 3 fases tradicionalmente estudadas no ciclo de crescimento capilar:

O ciclo de crescimento capilar é alvo de muito debate e de forma clássica é dividido em 3 fases: a fase de produção da fibra (anágena), a fase de regressão (catágena) e a fase de repouso (telógena), que em humanos dura cerca de 3 anos, 3 semanas e alguns meses, respectivamente.

Halloy J, Bernard BA, Loussouarn G, Goldbeter A. The follicular automaton model: effect of stochasticity and of synchronization of hair cycles. J Theor Biol. 2002 Feb 7;214(3):469-79.

A fase exógena: liberação do fio sem consequência ao ciclo de crescimento

Uma fase chamada de exógena tem sido descrita de forma independente do restante do ciclo, como sendo a fase em que o fio é liberado, sem consequência direta ao início da fase anágena.

Stenn K. Exogen is an active, separately controlled phase of the hair growth cycle. J Am Acad Dermatol. 2005 Feb;52(2):374-5.

A fase quenógena: período de latência antes de um novo ciclo de crescimento

Após a queda do fio, um período de latência é observado entre a eliminação do fio (fase exógena) e o surgimento de um novo fio em reposição (anágena). A duração desse período, chamado de fase quenógena (do grego κενός, vazio), varia em média de 2 a 5 meses.

Rebora A, Guarrera M. Kenogen. A new phase of the hair cycle? Dermatology. 2002;205(2):108-10.

A fase neógena: a fase de regeneração anterior à fase anágena

É curioso que a fase catágena seja o nome que descreve a mudança entre as fases anágena e telógena, mas nenhum nome descreve o período entre as fases telógena e anágena. A fase anágena inclui um processo morfogenético muito rápido e ativo, seguido por um estado estável e de longa duração em que a fibra é produzida. Pode-se conceber que o folículo piloso passa por fases estáveis, anágena e telógena, interrompidas por fases curtas e intensamente ativas de regressão e regeneração. Se a curta fase de regressão é denominada de catágena, tem sido proposto denominar a curta fase de regeneração de neógena.

Bernard BA. The human hair follicle, a bistable organ? Exp Dermatol. 2012 Jun;21(6):401-3. doi: 10.1111/j.1600-0625.2012.01457.x. Epub 2012 Mar 28.

O ciclo de crescimento capilar

As 4 fases principais no ciclo de crescimento capilar:

O ciclo completo de repouso, regeneração, produção e regressão incluiria então 4 fases principais denominadas respectivamente de telógena, neógena, anágena e catágena. Com essa denominação teríamos 2 fases muito curtas (neógena e catágena) e 2 fases bastante longas (telógena e anágena).

Bernard BA. The human hair follicle, a bistable organ? Exp Dermatol. 2012 Jun;21(6):401-3. doi: 10.1111/j.1600-0625.2012.01457.x. Epub 2012 Mar 28.

A papila dérmica

Provavelmente a mudança entre as fases de ciclo capilar é parcialmente controlada pelo balanço entre a matriz extracelular e a produção de morfogens pela papila dérmica.

 

A manutenção da produção da fibra capilar (anágena) é mantida pela comunicação entre a papila dérmica e a matriz extracelular.

 

Uma alteração dessa comunicação, induzida pela modificação de alguma variável, como a expressão de fatores de crescimento de fibroblasto, resultaria no início da fase catágena.

 

Quando isso acontece a papila dérmica é desligada do folículo em regressão e a matriz extracelular começa a ser degradada. Na fase telógena o folículo piloso é um simples agregado de células, sem matriz extracelular.

 

Eventualmente uma nova comunicação acontece e sinais morfogenéticos podem ser trocados. Dessa forma após ser atingido um determinado limiar é desencadeada a fase neógena e simultaneamente é reiniciada a síntese de matriz extracelular.

Bernard BA. The human hair follicle, a bistable organ? Exp Dermatol. 2012 Jun;21(6):401-3. doi: 10.1111/j.1600-0625.2012.01457.x. Epub 2012 Mar 28.

Microambiente em torno das células-tronco do folículo piloso

A imagem esquemática demonstra as interações entre as células-tronco do folículo piloso com as células vizinhas. Os sinais que emanam das estruturas adjacentes ao bulge (membrana basal) ou de tipos especializados de células, como a papila dérmica. Esses sinais controlam o comportamento das células-tronco do bulge e, consequentemente, afetam o ciclo do folículo piloso.

 

A papila dérmica mantém as células tronco do bulge e as células germinativas secundárias em repouso durante a fase telógena pela produção de proteína morfogenética óssea 4 (BMP4). Na fase anágena ocorre o desencadeamento da produção dessas células através dos inibidores de BMP (BMPihh) e dos fatores de crescimento de fibroblasto FGF7 e FGF10.

Solanas G, Benitah SA. Regenerating the skin: a task for the heterogeneous stem cell pool and surrounding niche. Nat Rev Mol Cell Biol. 2013 Nov;14(11):737-48. doi: 10.1038/nrm3675. Epub 2013 Sep 25.

Consulte o seu médico especialista e saiba mais sobre a linha TrichoConcept™.

TrichoTech™